Estrangeiro

Poema de 2013:

Estrangeiro,

Me empolgo com ideias que não dão lucro,
Me encanto com coisas que ninguém olha,
Cultivo valores abandonados
Sorrio com coisas sem sentido.

Gosto do meu viver desordenado
Gosto quando a chuva me molha
Desejo abandonar o que me mata
Resgatar esse tempo perdido.

Sem conhecer outro mundo,
Nesse não achei paradeiro.

Sem conhecer outros ares
Nestes, me sinto estrangeiro.

(LIMA, L. S.)