Eu morri.

Sim, estou morto!
O que vês é apenas
Rastro do que fui um dia
Como a estrela
Que agora morta
Enxergas apenas
Em caminho, a luz.
Não sou parte
Nem tomo parte
Deste mundo
Em que vives
E que crês
Que eu deva estar.
Não me vês.
Vês espectro
Ou algo tal
Que arremeda
O que fui
Quando fui
Ou existi.
Enfim,
Vim apenas
Para te dizer
Que a revelia
Dos sentidos
Que me mostram
Para ti,

Eu já morri.

(Lucas Lima)