Sou.

Sou
Um amontoado

De células disformes 

Como um câncer 

Que consome

Inconsequentemente

Tudo a sua volta

Um tumor

Uma bolota

Uma coisa putrefata

Causando indignação 

E espanto

Cambaleio em meus passos

Sou um desvario

Uma insanidade

Que eu mesmo pensei

Me fiz assim

Um tumor

Uma bolota

Quase disforme

Sinto-me morto

Mesmo em vida

Alugo um sentido

Para os dias 

Falta-me fôlego 

Para o renôvo

Sou uma bolota disforme

Sou uma pintura abstrata

Sou um zumbido

Que atravessa o universo, enquanto

Tiver forças

Um ser ovóide

Uma aberração 

Eu sou.