Derrama-te

Tudo é tão rápido
Tão sucinto

Tão etéreo.

Vale pouco a pena

Importar-se

Com pequenas 

Coisas

Vale mais

Viver

Plenamente 

Derrama-te

Em sonhos 

Vida, crenças

Desejos

 Loucos

Somos 

Na efêmera 

Existência 

Tênue 

Quanto ao 

Prazo,

Caso e 

Devemos rir

Sorrir é 

O que nos

Resta

Em um mundo

Que aprendeu 

Apenas a 

Desistir. 

Que pena essa

Semi vida que 

Sonhei pra ti

Que pena que 

Também crís

Que deveria

Ser assim

Que pena…

Que pena!