Homens-bomba

Biliosos atos

Belicosas mentes

Somos homens-bomba

Prestes a nos explodir.

Por qualquer fagulha

Por qualquer besteira

Vociferam todos

Resta-nos o quê

Que não balangar

Frente ao precipício

Destes dias,

Dia a dia?

Talvez lampejos

Criativos

Honras e merecimentos

Perecíveis 

Como castelos de areia?

Larguemo-nos no 

Passeio público

Deixemos ser

O que tem que ser

Larguemos freios

Volantes e aceleradores

Vamos voltar a nós

Mesmos

Desative a bomba

Apenas ria.