Sonda-te

​Sonda-te
Mergulha no mais fundo

Do profundo do teu ser

Vá além da convenção,

Do que o olho possa ver.
Permita-se buscar

A sombra para além

Do bem estar
Deixe que te agrida

A vida, insana

Arrebóis a se arrastar
Logo vem a noite

Logo vem o sono

Com ele sonhos,

Delírios sem dono.
Mutila-te

Flagela-te
Sonda-te.