E que tal, poesia?

E que tal, poesia?
Sair da rotina insana

Parar diante de um

Livro.

Deixar o mundo ruir

Enquanto você lê.

Mergulhar em um oceano

De palavras e possibilidades

Sair do ritmo

Ditado por obrigações

E censuras.

Que tal sorrir na ventura

Ou chorar copiosamente

Com a dor de um coração

Em chamas

Que clama por socorro

Na pena e na escrita?

Que tal se trancar em casa 

Num dia de chuva

Comer biscoitos,

Beber um chá quentinho

Agasalhado

E coberto

Enquanto as gotas

Que caem, ditam-lhe o 

Ritmo da leitura?

Que tal fazer algo diferente

Para ornar seu dia?

Por estas e outras, pergunto:

Por que não poesia?
Lucas Lima