O tempo

O tempo

Ele que te massacra,
Destrói as fibras do seu ser.
Ele que te transmuta
E que te torna outrem,
alheio a si mesmo.
Eis que o tempo
Me tornou alguém que
desconheço.
Que apenas sondo,
Me abismando
Quando em quando.
O tempo,
Esse mutante estático,
Este, que só é
Em nós.
Homem,
É o ser que o conhece.
É ele, talvez,
O único saber do homem.
E tão somente nele,
É o tempo existente.
Eu, humano que sou,
Sou no tempo,
Que só em mim subsiste.