A morte

A cada dia
Eu vejo mais
O nada
À minha frente.
Essa dor gélida
E dura
Que me leva os que
gosto.
Que me leva
A própria vida
Aos poucos.
Dia a dia
Um pouco
De mim
Morre.
A cada um que
Vai
Para o único
Destino
Possível,
A cada intolerância,
A cada indigência,
A cada desesperança
No olhar de uma criança.
Em dias como os nossos
Viver é em si
A própria morte.

Lucas Lima