Aurora

Quando reascende
A chama do fogo
Que nos une,
É como o brilho
Da aurora de um
Novo éon.
Quando reacende
A pira dos olímpicos
Mitos de amor,
Bebemos desta fonte,

Nos alimentamos dessa
Ambrosia,
Curando todos os
Males.
O nosso amor
É a panaceia
Do caos da
Existência.
Nos perguntamos
Juntos,
Nos angustiamos
Juntos,
Guerreamos
Juntos.
Um contra o outro,
Ambos contra um.
Contra o silêncio
Do universo,
Que não dá
Nenhuma pista
Dos porquês
E quens,
Que nos trouxeram
Até aqui.
Nos deixamos afogar
Neste silêncio,
Merrgulhamos
Neste agon
De estar juntos,
E na ilusão
De sermos um.