Eu

Já fui muita coisa.
Coisas das quais tenho orgulho,
doutras, nem tanto.
Já fui uma banda tocando
para uma platéia vazia.
Já fui a tentativa de ser escritor.
Já fui a tentativa de ser bancário.
Já fui enganado.
Já fui traído.
Já fui o vilão.
Já fui quem disse não.
Já fui quem não retornou
o telefonema.
Já me vi em um grande dilema.
Já perdi as contas dos dias,
em que a incerteza e o medo
me sufocaram as cordas vocais e o peito.
Já duvidei do que sou
e do que creio.
Já senti vergonha de mim mesmo.
Já senti vergonha alheia.
Já fui muita coisa que tu
nem desconfias.
E continuo sendo diversas coisas,
sem saber, ao certo,
o que morrerei sendo.

Lucas Lima