O último gole

A maior liberdade
Do homem,
Escolher de que vício
Irá morrer.
Alguns morrem de medo
Outros morrem de tédio
Vivamos táo plenos
Que sempre
Nos vejam brindar com
A vida.
Que mesmo ante o
Infortúnio,
Bebamos até
O último gole
Exalemos o
Cabeiro suspiro.
Escolhamos
A nossa estrada
Choremos a nossa
Desgraça.
Não temas tão pouco,
Amigo.
Daqui ninguém sairá
Vivo.

Lucas Lima