Efêmera

Efêmera beleza,
Casual encontro.
Causal impermanência.
Segue o fluxo,
Sigamos nós,
Rumo ao não sabido.
Declino à morte,
Eternizando o traço,
E o texto.
De resto,
Pouco sei sobre
O que resta,
Após o último
Suspiro.
Bela é a vida
Em sua efemeridade
De tão pouca,
Se faz muita.
De tão frágil,
Um colosso.
A existência
Por um fio:
Desejo é
Precipitar-se
Ao desconhecido
Obscuro do não-ser.
Somos foto de um
Filme que não vemos.
Somos areia
Do deserto
Em que vivemos.

Lucas Lima